Cego é quem não quer ver

1 comment

Sábado, 27/11/2005, passei por uma experiência muito interessante. Fui ajudar dois dos meus professores da faculdade. Me convidaram para dar uma aula de mergulho para crianças com deficiência visual, cegos , na verdade. Fui apresentado aos alunos como "professor", pelos meus professores. Isso me deixou um pouco tímido mas orgulhoso ao mesmo tempo.

Sou um mergulhador medíocre e um aluno de Educação Física esforçado. Mas estava alí para colaborar no que fosse possível. Foi uma tarde gratificante. Me foi dada a oportunidade de ensinar e acabei aprendendo muito.

Aprendi que devemos acreditar sempre em nós mesmos. Dizer, não consigo, não posso, difícil, não vai dar, é chato, não gosto e outras locuções negativas deveriam ser banidas do nosso vocabulário.

O processo de sobrevivência para qualquer pessoa aleijada, cega, surda, muda, louca...no nosso Brasil é um exercício constante de persistência e de desejo. O desejo de ser, o desejo de saber, o desejo de poder fazer, o desejo de amar, o desejo de ser amado e respeitado desperta a persistência dessa minoria esquecida por todos nós.

Quando assistimos a televisão e vemos um deficiente se destacando em qualquer atividade, esportiva, artística, profissional...somos levados ao choro, que parece ser de alegria, de emoção, mas na verdade é de vergonha por nunca termos feito nada por eles e muita vergonha por lembrarmos que nossos políticos são os maiores cegos e carentes. Cegos porque não querem ver e carentes de caráter, de cidadania e de amor.

Quero agradecer aqui a oportunidade que tive de aprender a ver com os olhos dessas crianças cegas que o mundo pode ser bom, colorido e alegre se tivermos boa vontade.

Dal


1 comentários:

Anônimo disse...

Hey what a great site keep up the work its excellent.
»