tempo temporário

Leave a Comment
Rá! Eu quero rir. Ainda me lembro da frase que ouvi de um professor no dia da entrevista de doutorado:

- Fernanda, você me trouxe um grade problema.

E o problema deveria ser grande mesmo, já que para contorná-lo o cara, ingenuamente (?), optou por excluir a banca do processo, restando um bate-pronto entre eu e ele, apenas. Nada muito inteligente, nada muito ético. Eu já cheguei lá sabendo das coisas, mesmo assim o golpe da ilegitimidade, o golpe do “por baixo dos panos”, o golpe tipo “eu adianto uma semana sua entrevista, não componho uma banca para você (que jeito bom de manter o poder) e não preciso me justificar com meus pares” é um golpe duro de engolir. Já tem quase três anos isso e eu ainda não engoli. Acho que só estou dando tempo ao tempo.

Boa. Quanto tempo dura uma entrevista de doutorado? Rá. Temporário demais. E neste vai-vem, as frases continuam fazendo eco entre meus neurônios.

- Você não conhece o projeto da fulana. Ela tem muito mais a ver comigo do que você.
(Aí ele desconsiderou os anos que trabalhei no projeto dele na faculdade, claro!). E eu achei suspeito, afinal, a fulana estuda Borboletas Azuis (projeto de outra professora) e o cara Crateras de Vulcões (meu projeto). Rá, rá! O que eu poderia dizer naquele dia em relação a isso? Nada! Eu, de fato, não conhecia o projeto da fulana.

Mas, salve o big brother do currículo lattes. Tema do projeto dela: Borboletas Azuis. Salve o tempo temporário demais e do qual eu sou amiga. No meio da semana uma amiga me perguntou: eles têm um caso? (Uma dúvida pertinente para uma história assim, meio sem pé nem cabeça).

Só por comparação resolvi pesquisar o currículo do professor que estuda as tais das Crateras de Vulcões e o currículo da aluna que estuda as tais das Borboletas Azuis. Só de curiosidade mesmo, para ver aumento de currículo, dedicação à pesquisa, desenvolvimento docente, saber o tamanho do meu engano. De repente ela teria mesmo mais a ver com ele do que eu.

Produção dela: Borboletas Azuis, Borboletas Azuis, Borboletas Azuis.
Produção dele: Cratera de Vulcões, Cratera de Vulcões, Cratera de Vulcões.

Rá, eles não tem mesmo grande coisa a ver um com o outro, do mesmo jeito que eu não tenho a ver com o meu atual orientador de doutorado. Rá. O preço que se paga pelas negociatas escusas e obscuras que envolvem o processo de vagas e de pertencimento ao mestrado e ao doutorado.

E você, que preço quer pagar?

0 comentários: