Vestimentas

5 comments
Não é porque eu sou professora de Educação Física que eu vou me vestir de qualquer modo. Eu vou sempre combinando, diz o chefe. A calça branca com listras vermelhas combina com o tênis vermelho de listras brancas e uma camisa pólo com qualquer umas destas cores para quando eu vou para a quadra. Já a sala de aula me exige uma calça que não seja jeans, uma camisa e um casaco para os dias de frio. Os cabelos eu tento arrumar, mas não consigo, ficam sempre uns fiozinhos rebeldes para atormentar. Coisa de mulher? Talvez. Quer dizer, quando o Luxemburgo apareceu de terno e gravata dentro dos gramados todo mundo comentou que ele era marqueteiro etc e tal.

Eu não sou marqueteira nem nada. Também não me afogo em bijouterias, jóias, enfeites de qualquer espécie ou maquiagem. Mas tem ocasião que exige um pouco mais de todo mundo. E às vezes é só para evitar o desconforto. É, ninguém vai de jeans para uma festa de casamento, salvo as crianças. Tá, eu também não estou falando de casamento aqui, mas sei que cuidar um mínimo de nossa imagem nos coloca um pouco adiante. Quando eu vou a um congresso, a um evento científico de qualquer outra área, distante da Educação Física, vejo que as pessoas levam a sério o jeito de se vestir. Palestrante de terno e gravata, gel nos cabelos, botando banca (no bom sentido). E dá gosto de olhar, sentir o que ele tem para nos dizer.

Então eu vou a um evento da Educação Física e o palestrante está de calça rancheira (e não é esta a origem da calça jeans?), uma camisa que geralmente não combina e um casaco de todo dia, meio surrado. Neste caso eu me pergunto se esta pessoa ainda se preocupou com o evento, ou se está lá apenas por estar. Se ela leva a sério sua posição ou se tudo bem, é assim mesmo, ninguém se importa. Pois bem, eu me importo. E nem venham me dizer que a Educação Física é irreverente etc e tal porque qualquer um pode ser irreverente bem vestido ou, no mínimo, vestido adequadamente para a ocasião.

Notem que eu me importo mais ainda quando eu vou a um evento, encontro tal sujeito, que pega o microfone e diz: "eu fiz esta apresentação meio correndo, não tive tempo de revisar, aliás, eu acabei de montá-la tem uns 10 minutos, aqui no jardim, então eu peço desculpas se tiver alguma coisa na apresentação fora de ordem". Não, eu não desculpo.

5 comentários:

José Maria disse...

Olá Fernanda, acho que você tem uma atividade acadêmica paralela à Educação Física que é a de historiadora. Calça rancheira a gente só encontra nos alfarrabios de antanho. Eu me lembro de quando o Chitãozinho e o Xororó fizeram, sob encomenda do então Ministro da Cultura, uma música para homenagear os 500 anos do descobrimento e que foi criticada por todos. E a resposta foi ótima: "fizemos na correria e não deu tempo para ficar boa".É por essa e por outras que eu bebo. José Maria

Fernanda Ramirez disse...

Oi Zé, quando eu era pequenininha levei maior susto porque eu só conhecia a calça rancheira do papai, daí eu cheguei na escola existia uma tal de calça de brim que depois virou calça jeans... é igual "porpeta", só uns 15 anos depois eu descobri que era a mesma coisa que almondegas... rsrsrs... beijos Zé.

José maria disse...

Fernanda, primeira lembrança e já nos "anos dourados" a calça era chamada de "faroeste" porque tinha marca Far West com um homem a cavalo gravada no couro (como as atuais)e dai para chamar-se rancheira foi uma consequência do cinema americano com os filmes de bang bang que mostravam os vaqueiros nos seus ranchos e ai aprendemos que os sítios e fazendas brasileiros também podiam ser chamados de ranchos.

Anônimo disse...

Rancheiro foi a marca do primeiro jeans brasileiro, lançado em 1945 pela empresa Roupas AB. Dai vem as calças de brim serem conhecidas como rancheira. Mais ou menos em 1950 a Alpargatas lançou a calça Far-West, feita com o famoso brim Coringa, outro produto Alpargatas, dai os jeans também serem conhecidos, em muitos estados do Brasil, como brincoringas (assim mesmo, tudo junto). Na Argentina o jeans era chamado de vaqueira. Os primeiros jeans da Levi's tinha o nome de Wais Overalls. Dungaree é outro nome que recebem nos
EUA. Anônimo

Fernanda Ramirez disse...

Óia que legal, quanta informação boa!!! Fiquei feliz!